Domingo, 22 Abril 2018  08:09:59

Torpedos - 22/6/2013

  • Escrito por  Marco Rogério e colaboradores

Surpreendente

 

A manifestação de protesto promovida em São Carlos na tarde/noite da última quinta-feira superou todas as expectativas. Mais de 10 mil pessoas tomaram as ruas reivindicando um país melhor.

 

Pacífica

Parabéns, tudo foi pacífico e sem quebra-quebra! A população que participou do movimento mostrou que é possível reclamar sem promover vandalismo e bagunça. As previsões dos profetas do caos não se cumpriram.

 

Medida acertada

Diante dos fatos, o prefeito Paulo Altomani (PSDB) tomou a medida correta, ou seja, se utilizou de uma ampliação de arrecadação do ICMS para zerar o ISS da concessionária do transporte coletivo e possibilitar a redução a partir do dia 1º de julho.

 

Cadê os defensores?

Aliás, por onde andam políticos e outros comentaristas de emissoras de rádio que viviam defendendo a ideia de que São Carlos tinha a oitava maravilha do mundo em transporte coletivo na cidade?

 

Inacreditável

Quem diria? O ex-subcomandante do 38º Batalhão da Polícia Militar de São Carlos, major Paulo Wilhelm de Carvalho, atualmente desempenhando suas funções na capital, protagonizou na noite da segunda-feira (17), durante a manifestação que levou cerca de 70 mil pessoas para as ruas de São Paulo, uma das cenas mais emocionantes desde que os protestos começaram. Inacreditável!

 

Lado a lado

Ele e seus comandados se sentaram na avenida junto com os manifestantes, após ser convidado por um dos líderes do movimento, o jovem Matheus Preis. Policiais e manifestantes caminhavam lado a lado quando na avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, região sudoeste da Capital, Matheus pediu para que os manifestantes se sentassem pacificamente.

 

Convite

Ele convidou o major Wilhelm a se unir ao ato, o oficial da PM e os outros policiais aceitaram o pedido e quando sentaram, foram aplaudidos pelos manifestantes. "É uma demonstração de respeito da PM com a vontade da população. Isso é muito importante. Estamos vivendo uma experiência que a gente nunca viveu. Hoje está muito diferente do que na quinta-feira, quando a gente foi reprimido. Quando não tem repressão, a gente consegue fazer uma ato controlado", afirmou Matheus.

 

 

Setor têxtil

Mais de 300 pessoas entre parlamentares, autoridades do governo e empresários participaram de um café da manhã em Brasília para discutir o Regime Tributário Competitivo para a Confecção (RTCC). Desenvolvido pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil de Confecção (Abit), o RTCC tem os objetivos de desonerar, simplificar e desburocratizar a carga tributária do setor.

 

Evento

O evento foi promovido pelas Frentes Parlamentares em Defesa da Indústria Nacional, presidida pelo deputado federal Newton Lima (PT-SP), e do Setor Têxtil, presidida pelo deputado Henrique Fontana (PT-RS).

 

40 mil empresas

O presidente da Abit apresentou os números do setor. Segundo ele, a cadeia da indústria têxtil envolve desde a produção da matéria-prima – o Brasil é autossuficiente em algodão –, à confecção e varejo. O setor conta com 40 mil empresas que empregam 1,6 milhão de pessoas e o faturamento em 2012 foi de U$ 56,7 bilhões.

 

Pertinentes

O representante do Ministério da Fazenda disse que as reivindicações da Abit são pertinentes e que o governo irá trabalhar para atendê-las. No entanto, Holland lembrou que o governo trabalha intensamente em prol da indústria brasileira.

 

600 mil empregos

“Pela proposta da Abit é possível ampliar a produção do setor têxtil em 117% e gerar 600 mil novos empregos até 2025 no Brasil”, avaliou o deputado Newton Lima. “O governo vai avaliar a proposta sob a ótica que já está adotando em vários setores, fazendo desonerações e desenvolvendo programas de incentivo”, salientou.

 

Faroeste caboclo 1

Um policial militar foi baleado no joelho e no pé por um guarda municipal, na madrugada de quinta-feira (20), em uma casa de shows no distrito industrial de Rio Claro. Ambos estavam de folga.

 

Faroeste caboclo 2

Segundo informações das polícias Civil e Militar, os disparos aconteceram no banheiro. O PM viu a arma na cintura do guarda e desconfiou dele; houve briga e o policial foi atingido por dois tiros. O PM foi socorrido e não corre risco de morte. A Polícia Civil investiga o caso.

 

 

Avalie este item
(0 votos)

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica
Bogas
Anacã

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.